Seja bem-vindo ao Florence Pugh Brasil, sua primeira e mais completa fonte de notícias sobre a atriz Florence Pugh no Brasil e no mundo. Aqui você encontrará informações sempre atualizadas sobre sua carreira, projetos e muito mais, além de entrevistas traduzidas e uma galeria repleta de fotos. Navegue no menu acima e divirta-se com todo o nosso conteúdo. O Florence Pugh Brasil é um site feito por fãs que não é afiliado e/ou mantém qualquer espécie de vínculo com a Florence, sua família, seus amigos, agentes ou alguém relacionado a seus projetos. Esse site foi criado com o intuito de informar e entreter pessoas que, como nós, admiram o seu trabalho e suas atitudes. O FPBR não tem nenhuma intenção de lucro. Caso pegue alguma tradução ou notícia exclusiva e reproduza em seu site, nos dê os devidos créditos. Esperamos que goste do contéudo e volte sempre!

Florence Pugh foi um dos nomes escolhidos pela Audible, a empresa de entretenimento falado e educativo da Amazon, para fazer parte da Coleção Jane Austen, que contará com seis audiolivros dos romances mais amados da autora. Cada história será um híbrido de narração e dramatização e contará com um elenco completo.

A atriz britânica lerá “Persuasão”, romance que conta a história de Anne Elliot, uma jovem de família nobre que se arrepende profundamente ter se deixado persuadir a romper seu noivado com o oficial da marinha Frederick Wentworth.

Além de Florence, o projeto contará ainda com as vozes das atrizes Emma Thompson, Claire Foy, Gugu Mbatha-Raw e Billie Piper. A Coleção Jane Austen será lançada no Audible no dia 5 de novembro e estará disponível aos membros do serviço por um crédito, com duração total de 32 horas.

 
Fonte: Evening Express.
Texto, tradução e adaptação: Florence Pugh Brasil.



A Deadline noticiou com exclusividade nesta sexta-feira, 11, em seu site, a mais nova adição do elenco de “Don’t Worry Darling”: o cantor, compositor e ator inglês, Harry Styles. Harry — que se junta a Florence Pugh, Dakota Johnson e Chris Pine no elenco estelar — substitui o ator americano Shia LaBeouf, inicialmente escalado para o papel que agora pertence ao britânico. O motivo que ocasionou a saída de Shia do projeto, e a consequente entrada de Harry, foram conflitos de agenda, conforme anunciado pelo New Line, o estúdio responsável.

Também nesta sexta-feira, o Collider publicou um artigo revelando novos detalhes sobre o enredo e o processo de produção do novo thriller psicológico de Olivia Wilde. Confira abaixo a tradução:

Ambientado na década de 1950, o filme da New Line irá estrelar Florence Pugh como uma dona de casa infeliz que aos poucos passa a questionar sua própria sanidade quando começa a perceber incidentes estranhos em sua pequena comunidade utópica no deserto da Califórnia. Harry Styles irá interpretar o marido de Florence, um homem que é o verdadeiro retrato da perfeição e a ama profundamente, mas que está escondendo um segredo sombrio dela.

Chris Pine está escalado para co-estrelar como o líder de um estaleiro misterioso. Todos os homens estão empregados um pouco além dos limites da cidade e o personagem de Chris é reverenciado por todos os seus colaboradores e suas esposas, quase como um culto. Enquanto isso, Dakota Johnson irá interpretar a vizinha de Florence, que começa a exibir um comportamento estranho e paranoico e tenta alertá-la de que as coisas em sua comunidade não são o que parecem ser. Olivia Wilde também irá desempenhar um papel coadjuvante crucial.

Após fazer sua estreia como diretora com a aclamada comédia adolescente “Fora de Série”, Olivia irá dirigir à partir de um roteiro desenvolvido por Katie Silberman, a escrivã de “Fora de Série” que reescreveu o roteiro original de Carey e Shane Van Dyke. Olivia e Katie também irão produzir “Don’t Worry Darling” ao lado de Roy Lee e Miri Yoon, da Vertigo, enquanto Carey e Shane serão os produtores executivos juntamente com Catherine Hardwicke. Os executivos da New Line, Daria Cercek e Celia Khong, irão supervisionar o projeto para o estúdio.

O projeto é uma prioridade para a New Line, de propriedade da WarnerMedia. (…) Olivia tem vários projetos de direção em andamento, mas é esperado que “Don’t Worry Darling” seja seu próximo longa-metragem, visto que já está com seu elenco definido.

Após os anúncios, Olivia utilizou sua plataforma no Twitter para revelar os nomes dos personagens de Florence Pugh e Harry Styles: Alice e Jack, respectivamente.

Fontes: Deadline, Collider & Twitter.
Texto, tradução e adaptação: Florence Pugh Brasil.



O livro oficial do filme “Viúva Negra“, a ser lançado pela Marvel, finalmente ganhou uma data prevista para chegar às prateleiras mundo afora: o lançamento está inicialmente marcado para o dia 6 de outubro de 2020, com a pré-venda provavelmente se iniciando em uma data próxima!

O especial, que se trata de um guia completo do filme; incluindo entrevistas inéditas com o elenco e a equipe, irá proporcionar ao leitor a experiência de se submergir no processo de criação da mais nova e aguardada obra da Marvel Studios. Apresentando fotos e imagens das filmagens, o título trará também conteúdo exclusivo do elenco principal (Scarlett Johansson, Florence Pugh, David Harbour e Rachel Weisz), além de bate-papos com a equipe responsável por dar vida ao mundo da espionagem de “Viúva Negra” e uma análise aprofundada da história em quadrinhos da icônica personagem da Marvel.

Confira abaixo a prévia da entrevista de Florence traduzida por nossa equipe e a nova imagem promocional divulgada no scan:

YELENA BELOVA
Florence Pugh fala sobre família e ser a assassina prática e objetiva que faz o que tem que ser feito.

Como você se sentiu ao ingressar no Universo Cinematográfico da Marvel?
Como em qualquer franquia, é sempre um pouco intimidador, devido ao que você irá trazer e de quem você irá interpretar. Eu acho que, para qualquer ator, isso automaticamente será algo muito marcante e especial, quer você assista a esses filmes pessoalmente ou não. Todo mundo cresce envolto nos filmes da Marvel, ou assistindo a eles, ou, ainda, com algum irmão que os ama e é um(a) fã ávido(a).

Foi convidativo o quanto o Universo Cinematográfico da Marvel vem se expandindo?
Totalmente. O próprio fato de terem colocado Cate Shortland na cadeira do diretor, alguém que eu nunca teria imaginado que estaria dirigindo um desses filmes, na frente de uma das histórias mais queridas, é incrível. Isso por si só já aponta para uma nova direção. O que nós viemos tentando explicar desde o começo, é que parece que Cate está apenas dirigindo outro de seus filmes. Que por acaso acontece de ter essa mega história do Universo Cinematográfico da Marvel por trás. Nunca pensei que essas duas coisas se misturariam tanto. Além disso, a história que estamos contando é bastante assustadora. É sobre mulheres que foram, essencialmente, abusadas e treinadas para serem máquinas mortíferas. Como Scarlett disse inúmeras vezes, esse é o momento certo para ela contar a história da Viúva Negra. E não estamos nos esquivando do fato de que essa história é essencialmente sobre mulheres recuperando sua vida. E é um filme da Marvel Studios, também. Isso é muito raro, e é muito emocionante fazer parte disso.

Conte-nos sobre a sua personagem.
Eu interpreto Yelena, a irmã mais nova irritante que fala tudo o que vem à cabeça sem medir as consequências. Quando nós a conhecemos, ela está meio que descobrindo o mundo sob uma nova perspectiva. Ela está magoada, é complicada e age de forma desgovernada. Quando ela reencontra a personagem de Scarlett, Natasha, Yelena está meio que redescobrindo quem ela é após ficar tanto tempo na Sala Vermelha. Então, juntas, elas percebem que estão sofrendo de maneiras muito semelhantes. Há uma amizade adorável e única entre as duas, porque, no fim das contas, elas são irmãs que não se viam há muito tempo. Elas consertam uma à outra e a falta que ambas fizeram em suas vidas. No centro disso, está essa jornada bastante brutal de descobrirem quem elas são, e isso é algo que eu não imaginava que combinaria com tantas explosões incríveis, armas, e isso e aquilo. Na verdade, há uma história muito triste no fundo.

Fonte: Black Widow: The Official Movie Special e Amazon.
Tradução e adaptação: Florence Pugh Brasil.



Em uma breve entrevista à edição especial de agosto da revista Empire UK, intitulada de Big-Screen Preview Issue, a diretora de “Viúva Negra“, Cate Shortland, confirmou que Florence Pugh será a nova Viúva Negra do Universo Cinematográfico da Marvel. Cate, que não poupou elogios a performance da atriz no papel de Yelena Belova, falou também um pouco sobre o processo de edição do filme, que sofreu um pequeno atraso devido a pandemia do novo coronavírus. Confira abaixo alguns trechos traduzidos nos quais a diretora menciona Florence e o filme e seu processo de pós-produção:

Viúva Negra
A diretora Cate Shortland diz-nos para esquecer o que achamos que sabemos — a tão esperada pré-sequência de Natasha Romanoff está cheia de surpresas

Empire UK: Como vai você? Vocês já deveriam ter concluído e finalizado o filme a essa altura.
Cate Shortland:
Nós estávamos a uma semana de finalizar a edição quanto tivemos que parar, e então, provavelmente, levaram outras duas semanas para reunirmos a tecnologia necessária para que pudéssemos continuar editando. A parte musical está toda pronta. Estamos quase lá!

Empire: Bom, você tem que se manter ocupada. Então você está iniciando a Fase Quatro da Marvel com a pré-sequência, voltando ao passado para avançar até o futuro. Essa contradição é algo sobre o qual você falou ao fazer esse filme?
Cate:
Sim, foi. Kevin [Feige, chefe da Marvel] sempre se interessa pelo inesperado. Ele percebeu que o público esperava uma história de origem, então, é claro, fomos na direção oposta. E não sabíamos o quanto Florence Pugh seria genial. Nós sabíamos que ela seria ótima, mas não sabíamos o quanto. Scarlett é tão graciosa, ela disse, “Oh, estou passando o bastão para ela.” Então isso vai impulsionar outra história feminina.

Empire: Então você vê esse filme mais como uma entrega do que apenas uma despedida de Scarlett?
Cate:
Sim. Em “Ultimato“, os fãs ficaram incomodados com o fato de Natasha não ter tido um funeral. Enquanto Scarlett, quando eu conversei com ela sobre isso, disse que Natasha não iria querer um funeral. Ela é muito reservada, e de qualquer maneira, as pessoas não sabem realmente quem ela é. Então, o que fizemos nesse filme, foi permitir que o final fosse a dor que os indivíduos sentiam, ao invés de uma grande manifestação pública [de tristeza]. Eu acho que é um final adequado para ela.

Empire: Essa é uma abordagem muito interessante também, dado o fato de que há um aspecto de solidão nela. Colocá-la junto a uma quase-família é realmente contra-intuitivo.
Cate:
Totalmente, e novamente é Kevin, insanamente inteligente. Essas pessoas a conhecem desde a infância, então a máscara dela tem que cair imediatamente, porque, caso contrário, eles chamam sua atenção. Esse é um lado dela que vocês não estão acostumados a ver e eu acho que essa é uma maneira particularmente feminina de se olhar para uma história. Muitas vezes, os homens olham para as coisas em um grande mural mítico, certo? A grande heroína que vai matar o inimigo. O que nós abordamos foi, quem é ela quando está sozinha? Quem é ela com as pessoas que a conhecem melhor? Esses são os detalhes que estávamos procurando [explorar].

Empire: Isso foi um desafio para Scarlett em termos de atuação? Essa personagem tem sido tão definida por sua privacidade que, quando você a aprofunda e a faz se abrir, pode parecer uma pessoa completamente diferente.
Cate:
Ela sempre será reservada, mas acho que o que Florence Pugh fez, como atriz, foi se revelar tão completamente que Natasha não tem outra escolha a não ser fazer o mesmo. Então você tem esse… quase um romance realmente bonito entre as duas garotas. É a história de irmãs. Estou orgulhosa do que ambas fizeram, porque é bastante sutil mas, emocionalmente, tem muito amor, empatia e compaixão.

Fonte: Empire UK — The Big-Screen Preview Issue.
Tradução e adaptação: Florence Pugh Brasil.



Florence Pugh foi convidada pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, responsável pela maior e mais importante premiação do cinema, o Oscar, a se juntar à organização. Florence faz parte do seleto grupo de 47 atores e atrizes que compõe a lista de um total de 819 artistas e executivos convidados que se destacaram por suas contribuições ao cinema.

A lista de convidados do ano de 2020 é composta em 45% por mulheres, 36% por membros de comunidades étnicas/raciais sub-representadas e em 49% por estrangeiros de 68 países. Ela inclui, ainda, 75 indicados ao Oscar, 15 deles ganhadores, e cinco ganhadores de Prêmios Científicos e Técnicos. Aqueles que aceitarem os convites serão as únicas adições à associação à Academia em 2020.

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas emitiu uma breve declaração ao divulgar a lista, através de seu presidente, David Rubin:

A Academia tem o prazer de receber esses ilustres companheiros de viagem nas artes e nas ciências cinematográficas. Sempre abraçamos talentos extraordinários que refletem a rica variedade de nossa comunidade cinematográfica global, agora mais do que nunca.

Além de Florence, também fazem parte dos atores convidados nomes como Lakeith Stanfield, Cynthia Erivo, Kaitlyn Dever, Ana de Armas, Awkwafina, Zazie Beetz e muitos outros. A lista completa pode ser conferida aqui.

 
Fonte: Academia de Artes e Ciências Cinematográficas.



disclaimer