Seja bem-vindo ao Florence Pugh Brasil, sua primeira e mais completa fonte de notícias sobre a atriz Florence Pugh no Brasil e no mundo. Aqui você encontrará informações sempre atualizadas sobre sua carreira, projetos e muito mais, além de entrevistas traduzidas e uma galeria repleta de fotos. Navegue no menu acima e divirta-se com todo o nosso conteúdo. O Florence Pugh Brasil é um site feito por fãs que não é afiliado e/ou mantém qualquer espécie de vínculo com a Florence, sua família, seus amigos, agentes ou alguém relacionado a seus projetos. Esse site foi criado com o intuito de informar e entreter pessoas que, como nós, admiram o seu trabalho e suas atitudes. O FPBR não tem nenhuma intenção de lucro. Caso pegue alguma tradução ou notícia exclusiva e reproduza em seu site, nos dê os devidos créditos. Esperamos que goste do contéudo e volte sempre!

Florence Rose C. Mackin Pugh, nascida no John Radcliffe Hospital em Oxford, Inglaterra, no dia 3 de janeiro de 1996, é uma atriz britânica, filha do restaurateur Clinton Pugh e da professora de dança Deborah Mackin. Florence é muito próxima de seus avós maternos, Patricia Hopps e George Mackin, e tem dois irmãos mais velhos, o ator e cantor Toby Sebastian e a atriz e professora de canto Arabella Gibbins; e uma irmã mais nova, a estudante e também atriz Rafaela Pugh. Pugh tem, ainda, dois companheiros caninos frutos de adoções: Sir. Albert Pugh, o cachorro de sua família, e Billie, a cadelinha que adotou recentemente com seu atual namorado, o ator Zach Braff.

Florence viveu em Oxfordshire até os quatro anos de idade, quando se mudou para a Andaluzia, na costa sul da Espanha, em maio do ano 2000. Ela sofria de uma doença chamada traqueomalácia, que afetava seu sistema respiratório, e era frequentemente hospitalizada quando criança. A mudança de sua família para a Espanha tinha como objetivo amenizar os sintomas de Florence e melhorar sua saúde, devido ao tempo mais quente e ameno do país.

Pugh frequentou a escola Sotogrande International School em Cádis, onde morava, por três anos, até retornar à Oxfordshire devido a precariedade do sistema educacional de Cádis. Na Cokethorpe Junior School, em West Oxfordshire, Florence descobriu sua afeição por sotaques e drama cômico aos 7 anos de idade, quando ganhou o papel de Maria na peça de natal da escola e escolheu interpretá-la de forma excêntrica, com um sotaque originário do condado de Yorkshire. Durante o período em que frequentou a Wychwood School, de 2007 a 2009, e a St. Edward’s School, Florence continuou atuando em peças escolares e desenvolvendo ainda mais o seu lado artístico, participando também de musicais, espetáculos de dança e cantando em shows de talento.
 

CARREIRA ARTÍSTICA


Quando ainda era uma aluna da St. Edward’s School, em 2014, Florence fez sua estreia profissional como atriz. A produção do filme “The Falling” fez uma convocação de elenco na escola e ela participou dos testes, junto com diversas outras alunas, mas sem muitas expectativas. Florence, porém, surpreendeu a todos os responsáveis pela seleção do elenco e também a diretora do filme, Carol Morley, que ficaram extremamente impressionados com sua performance e a compararam à Kate Winslet no início de sua carreira. Pugh, então, foi selecionada para interpretar a adolescente precoce Abbie Mortimer no drama misterioso, que lhe rendeu o prêmio de Melhor Estreante Britânico no BFI London Film Festival em 2014 e uma indicação a Melhor Artista Jovem Britânico/Irlandês no London Film Critics’ Circle Awards, no ano seguinte.

Em 2015, Florence foi para os Estados Unidos pela primeira vez, a trabalho. Sua mãe, Deborah, a acompanhou em Los Angeles durante as gravações do episódio piloto da nova comédia dramática da Fox, “Studio City“, que conta a história de uma jovem cantora no caminho para o estrelato. Na série, Florence interpretaria a protagonista, Cat (Catalina Evans); uma cantora e compositora em ascensão cuja vida tinha sido, até então, uma celebração da disfunção, com a mãe uma alcoólatra instável e o pai, Rob, um músico que traficava drogas para celebridades. Pugh, no entanto, teve uma primeira experiência traumática com Hollywood, com seu peso e sua aparência sendo tópicos abertos para debates, e ficou aliviada quando o projeto, que a fez considerar abandonar a carreira de atriz por um momento, não foi para a frente.

Dois meses após retornar ao Reino Unido de Los Angeles, Florence participou dos testes para o novo filme do diretor William Oldroyd, “Lady Macbeth“. No sombrio drama indie do século XIX, baseado no romance de 1865 de Nikolai Leskov, “Lady Macbeth do Distrito de Mtsensk”; a atriz britânica interpretou a protagonista Katherine Lester, a esposa entediada e semi-encarcerada do filho de um proprietário de minas que se irrita com suas condições de vida e então resiste mais violentamente às restrições impostas a ela. Esse papel incomum e poderoso deu a Pugh uma ideia do tipo de atriz que queria ser e a alçou de vez ao estrelato. O filme estreou em 2016 e sua performance notável lhe rendeu o prêmio de Melhor Atriz no British Independent Film Awards, em 2017, e muitos outros prêmios e um total de 14 indicações.

Ainda em 2015, Florence protagonizou o curta-metragem “Paradise Lost?” ao lado de seu irmão, Toby Sebastian. Os atores deram vida a Adão e Eva na releitura do poema de John Milton, de nome homônimo, para o Random Acts, da rede de televisão britânica Channel 4.

Em 2016, Florence teve um papel recorrente na série policial da ITV “Marcella“, como a modelo de webcam e garota de programa Cara Thomas. A personagem, que esteve presente no seriado televisivo durante os três primeiros episódios da 1ª temporada, é envolvida com atividades virtuais ilícitas e rouba pertences dos clientes com os quais dorme para depois penhorá-los em troca de dinheiro. Com isso, Cara vira inimiga de um perigoso assassino em série, caçado pela personagem principal, a detetive Marcella.

O ano de 2018 foi bastante movimentado em termos profissinais para Florence, que acumulou cinco novos projetos em seu currículo. Em “O Passageiro“, o primeiro filme de ação de sua carreira, Pugh dá vida à Gwen, uma passageira do trem no qual o ex-detetive do Departamento de Polícia de Nova York, Michael MacCauley, se vê em meio a um esquema que tem consequências de vida ou morte para alguns dos viajantes da linha.

Em “King Lear“, o filme televisivo adaptado pelo diretor Richard Eyre para a BBC com base na peça de Shakespeare, Florence interpreta Cordelia, a filha mais nova do Leir da Bretanha, que, apesar de ser a única das três filhas que é fiel ao pai, é deserdada e banida das terras dele após falhar em professar e demonstrar a Lear seu amor e devoção.

No terror “A Maldição dos Esquecidos“, Pugh interpreta a protagonista do filme, a charlatã Angela Sayers; que se apresenta como tendo um sexto sentido para ver espíritos, assim como sua falecida mãe. Angela e seu irmão, Jackson, fazem parte de um negócio especializado em atividades paranormais, mais especificamente caça a fantasmas, e, com isso, enganam inúmeras pessoas que acreditam que estão sendo assombradas. Até que Angela percebe que realmente pode ver e ouvir os mortos.

Ainda em 2018, Florence estrelou em “The Little Drummer Girl” – uma série de TV produzida pela BBC e AMC e baseada no romance de mesmo nome escrito por John le Carré em 1983 – como Charmian “Charlie” Ross, uma intensa atriz inglesa recrutada pela Inteligência Israelense para se infiltrar em uma célula terrorista palestina e levá-los ao seu cérebro, o que exige todos as suas habilidades de atuação e a coloca em um risco considerável.

Pugh encerrou o ano com “Legítimo Rei“, um filme histórico de ação e drama sobre Roberto de Bruce distribuído pela Netflix. Na produção, a atriz interpreta Elizabeth de Burgh, filha de um poderoso aliado do rei inglês ocupante da Escócia medieval; que é dada em um casamento arranjado à Robert, rei da Escócia por direito, em uma aliança política.

Também em 2018, Florence participou de um projeto em apoio ao movimento Time’s Up e inspirado por ele: o curta-metragem “Leading Lady Parts“, em que aparece como ela mesma. O curta mostra várias atrizes de ponta fazendo testes para o papel de uma protagonista feminina, oferecendo uma crítica aos processos de seleção, em que os diretores de elenco fazem pedidos cada vez mais ridículos às atrizes, como perder peso, sorrir mais e usar mais maquiagem.

2019 foi o ano que consolidou a ascensão da carreira de Pugh e a consagrou como uma atriz de renome e prestígio internacionais: além de aparecer na lista anual européia 30 Under 30 da Forbes, que reconhece as 30 pessoas mais influentes do continente europeu abaixo dos 30 anos, ela estrelou três grandes filmes – “Lutando pela Família“, “Midsommar” e “Adoráveis Mulheres” – entregando performances arrebatadoras.

Florence começou o ano dando vida à Saraya “Paige” Knight em “Lutando pela Família“, um filme biográfico esportivo de comédia dramática baseado na vida da ex-lutadora inglesa Saraya-Jade Bevis, mais conhecida por seu nome de ringue, Paige. A personagem de Florence é filha de um ex-lutador e, junto com sua família, ganha a vida se apresentando em pequenos espaços por todo o país; mas, assim como seus irmãos, sonha em se juntar à WWE (World Wrestling Entertainment).

Em “In the Time It Takes to Get There“, Pugh interpretou Lucille, uma digital influencer do século XVIII que se questiona sobre suas postagens e ações e se o que faz é uma realidade imaginária. O curta-metragem teve início à partir do concurso “Movie Poster Movie” (algo como “Filme do Pôster”) da Adobe e da agência Pereira O’Dell, que convidou jovens criadores a conceberem e enviarem pôsteres de filmes de qualquer gênero, em que o vencedor serviria de inspiração para um curta-metragem real. O projeto foi escrito e dirigido por Zach Braff, que atualmente é o namorado de Pugh.

Midsommar: O Mal Não Espera a Noite” é um filme dramático de terror que traz Florence no elenco como Dani Ardor, a protagonista da história; que após perder sua família de forma trágica e em meio a um pesado período de luto, viaja com seu namorado e os amigos dele para um vilarejo isolado na Suécia para celebrar o famoso festival de meados de verão do país. Sua performance poderosa lhe rendeu aclamação unânime da crítica e do público.

Por fim, Florence encerrou o ano com chave de ouro com o filme “Adoráveis Mulheres“. Dirigida por Greta Gerwig, a atriz britânica deu vida à Amy March, considerada por muitos leitores da obra que inspirou o longa, “Mulherzinhas“, como mimada e uma grande antagonista à sua irmã mais velha, Jo March. A releitura cômica, leve e decidida que Florence fez da personagem, conquistou não só o coração da crítica especializada e da audiência: conquistou também sua primeira indicação ao Oscar na categoria de Melhor Atriz Coadjuvante.

Pugh estrelará em seguida a nova e aguardada obra do Universo Cinematográfico da Marvel: o filme “Viúva Negra“, no qual interpretará a ex-assassina russa e ex-integrante do “Programa Operação Viúva Negra“, Yelena Belova; que divide laços fraternais e um passado conturbado com a Vingadora Natasha Romanoff.

Seu currículo também contará em breve com outro projeto: na primeira metade de 2020, Florence foi anunciada no elenco de “Don’t Worry Darling“, o novo filme de Olivia Wilde. O suspense psicológico se passará em uma comunidade utópica e isolada, localizada no deserto da Califórnia na década de 1950.
 

MUNDO DA MÚSICA


Pugh descobriu a paixão pela música ainda na infância, graças a seus pais, que sempre encorajaram e incutiram nos filhos o amor à performance e à música, bem como à todas as formas de expressões artísticas. Quando criança, ela fez aulas de piano, violão e bateria.

Em 2009, quando Florence era adolescente, sua mãe começou a postar vídeos caseiros dela cantando no YouTube — alguns recentes e outros mais antigos — sem perceber completamente, até que ela desenvolveu uma base de seguidores, que qualquer pessoa podia assisti-los.

Em 2012, Pugh criou uma conta na plataforma musical SoundCloud, onde publicou áudios de seus covers e revelou mais um talento: o de compositora, dividindo com o mundo algumas de suas músicas autorais.

No ano seguinte à criação de seu perfil musical no SoundCloud, em 2013, Florence fundou seu próprio canal no YouTube, ainda sob o nome artístico de Flossie Rose, que é a junção de seu apelido com o seu nome do meio. Infelizmente, como a música se trata mais de um hobby para ela, seu canal se encontra inativo atualmente, com sua última postagem datando de 2016. Porém, sua mãe, Deborah, atualizou recentemente seu canal com mais um cover da filha, gravado quando ela tinha 11 anos de idade.




disclaimer