Seja bem-vindo ao Florence Pugh Brasil, sua primeira e mais completa fonte de notícias sobre a atriz Florence Pugh no Brasil e no mundo. Aqui você encontrará informações sempre atualizadas sobre sua carreira, projetos e muito mais, além de entrevistas traduzidas e uma galeria repleta de fotos. Navegue no menu acima e divirta-se com todo o nosso conteúdo. O Florence Pugh Brasil é um site feito por fãs que não é afiliado e/ou mantém qualquer espécie de vínculo com a Florence, sua família, seus amigos, agentes ou alguém relacionado a seus projetos. Esse site foi criado com o intuito de informar e entreter pessoas que, como nós, admiram o seu trabalho e suas atitudes. O FPBR não tem nenhuma intenção de lucro. Caso pegue alguma tradução ou notícia exclusiva e reproduza em seu site, nos dê os devidos créditos. Esperamos que goste do contéudo e volte sempre!
18.11.19 | Salvo em: Entrevistas | Galeria | Photoshoots | Programas de TV | Scans | Autor: FPBR

Em outubro passado, Florence Pugh e Beanie Feldstein sentaram-se frente a frente em um estúdio de Los Angeles para gravar seu episódio para a série televisiva da Variety, o programa Actors on Actors, e posaram para para as lentes do fotógrafo Art Streiber. Hoje, quase um mês após as gravações, a Variety publicou em seu site uma parte transcrita dessa conversa, realizada por Kate Aurthur. Confira abaixo a entrevista traduzida, as fotos da sessão fotográfica, as fotos promocionais do episódio, os scans da revista e o vídeo com a conversa completa entre as duas atrizes:

Florence Pugh e Beanie Feldstein sobre “Adoráveis Mulheres”, trabalhar com Greta Gerwig e “Fora de Série”
Beanie Feldstein (“Fora de Série”) e Florence Pugh (“Adoráveis Mulheres”) sentaram-se para um bate-papo para o “Variety Studio: Actors on Actors”.

Florence Pugh de “Adoráveis Mulheres” e Beanie Feldstein de “Fora de Série” se deram bem, para dizer o mínimo. A conversa das duas termina com alegres profissões de admiração: “Eu estou no paraíso,” Florence diz. “Eu estou no paraíso,” Beanie diz. “Acho que nós duas estamos no paraíso!” Florence conclui. As duas estrelas em ascensão discutem trabalhar com as diretoras Greta Gerwig e Olivia Wilde, estabelecer relações íntimas com seus colegas de elenco e como a interpretação de Amy desempenhada por Florence em “Adoráveis Mulheres” fez com que Beanie — uma superfã do clássico “Mulherzinhas” — aprendesse a amar a personagem.

Florence Pugh: O que você achou de trabalhar com Greta Gerwig?

Beanie Feldstein: Não, o que você achou de trabalhar com Greta Gerwig? E quanto a Saoirse?

Florence: Eu posso falar sobre Saoirse Ronan —

Beanie: Pelo resto da minha vida.

Florence: Pelo resto da minha vida, o dia todo, todos os dias. Greta Gerwig é uma explosão de vida; a mais peculiar, alto astral e inteligente que eu tive o prazer de conhecer.

Beanie: Ela é uma alma muito especial. É como trabalhar com alguém com quem você simultaneamente se sente tão à vontade, mas também admira muito. É uma combinação estranha de irmã mais velha e fonte de inspiração como mentora, tudo no mesmo pacote. Eu sinto que ela realmente harmonizou o elenco e a equipe de uma maneira tão bonita. Acho que Saoirse faz a mesma coisa. Eu me lembro de “Lady Bird”, parecia que ela era tanto um membro da equipe quanto era do elenco, o que foi realmente bonito.

Florence: Eu amei muito esse filme. Como foi fazê-lo?

Beanie: Eu era tão inexperiente, analisando agora. Eles foram tão legais comigo. Sou mais velha que Saoirse, mas me senti como um cervo pequeno, novo e de olhos arregalados, tipo, “Obrigada por me permitirem estar aqui, pessoal!

Florence: Te entendo completamente!

Beanie: Mas ouvi de Greta que você não era assim em “Adoráveis Mulheres”, e que você estava muito confiante — quero ouvir tudo sobre isso.

Florence: O que ela disse sobre mim?

Beanie: Ela só disse que você se sentou bastante a vontade na carruagem com Meryl Streep, muito segura de si. Eu estou, tipo: Me conte seus métodos.

Florence: Ah, não, agora minha mãe ficará envergonhada porque eu me sentei jogada em uma carruagem ao lado de Meryl Streep.

Beanie: Que segurança ela te deu.

Florence: Lembro-me que um dia Greta veio até mim e disse, “Você está, sei lá, desinteressada pelo fato de estar sentada ao lado de Meryl nesse momento?” Eu respondi, “Não, eu estou interessada. Só estou tentando não ser uma psicopata completamente louca.

Beanie: Você oscilou na direção oposta.

Florence: Algumas pessoas são mesmo muito boas em serem grandes fãs. Eu iria me envergonhar completamente se falasse algo do tipo, “eu já vi todos os trabalhos que você fez ao longo da sua carreira.

Beanie: Eu não posso evitar [de ser assim].

Florence: Mas você é assim. Eu me apaixonaria por você.

Beanie: Nós já estamos apaixonadas. Vamos nos casar.

Eu vou falar com você sobre “Adoráveis Mulheres” por muito tempo, mas acho que o que é tão incrível é que é muito mais grandioso que “Lady Bird”. É uma grande história que todo mundo conhece. Eu cresci com “Mulherzinhas”. É uma das minhas histórias favoritas do mundo. Eu sempre odiei Amy.

Florence: Sim.

Beanie: Então, senhorita, eu assisti esse filme e fiquei extremamente impressionada com o seu trabalho. Você ficou no mesmo nível de Jo, que é interpretada pela Saoirse, com quem eu sei que é difícil se igualar. Você transformou essa personagem em alguém por quem eu torcia, e a quem eu amava. Eu estava do lado dela e me perguntando o porquê de eu estar do lado dela. Você podia ver que elas realmente eram espelhos uma da outra.

Florence: Esse é um elogio incrível. Greta me disse de imediato, “Nesse filme, Amy será mais do que apenas o que ela é no livro, porque sinto como se ela não tivesse tido sua voz.” Ela é tão facilmente e rapidamente a irmã mimada. É muito fácil ler Jo como sendo essa heroína, e todo mundo quer ser a Jo. Mas acho que também há algo sendo dito por Amy, por uma garota que sabe que, naquela época, a coisa mais inteligente a se fazer é se casar por dinheiro, o que é tão estranho para nós, mulheres de hoje em dia, dizer, “isso, vai garota! Case com o homem rico!

Tenho muitas perguntas sobre “Fora de Série”. Como foi trabalhar com Olivia Wilde? Porque eu estou completamente apaixonada por ela. Pela Kaitlyn [Dever] também.

Beanie: Acho que você e Olivia se sentiriam tão atraídas uma pela outra, porque ela é tão ousada e destemida quanto você em seu trabalho, nas telas e fora delas. Quando trabalhei com Greta, me senti meio como que, “O que eu faço agora?

Então Olivia veio até mim com “Fora de Série” e eu fiquei, tipo, “É isso.” Olivia é uma diretora notável. Ela é tão inovadora e enérgica, e eu senti que acreditava tanto nela — mas fiquei realmente intimidada pela minha personagem. Acho que ela é extremamente forte. Me pergunto se você sentiu o mesmo com Amy. Ela pode ser um pouco insuportável às vezes. Então eu fiquei realmente intimidada por isso, porque estou acostumada a meio que interpretar a [personagem] meiga. Sendo assim, interpretar a personagem extremamente motivada, forte e intensa, era novidade para mim; e foi a confiança de Olivia em todos nós que acho que nos fez sair tão bem.

Para mim, trabalhar com Kaitlyn foi uma parceria verdadeiramente especial em minha vida. Nós moramos juntas enquanto estávamos gravando o filme, e assim nós estávamos sempre juntas — inseparáveis. Nós escovávamos os dentes juntas, líamos nossas falas juntas e comíamos panquecas juntas.

Florence: Quando você leu “Fora de Série” pela primeira vez, você tirou inspiração de outras comédias adolescentes?

Beanie: É tão interessante, porque Kaitlyn e eu conversamos muito sobre isso, que a maioria das lembranças que tínhamos de amizades femininas da nossa infância, vieram da TV. Como “Lizzie McGuire” e “As Visões da Raven”.

Florence: As minhas também.

Beanie: Todos os filmes eram majoritariamente protagonizados por homens. Então eu cresci citando “Meninas Malvadas” constantemente, e é maravilhoso. Olivia colocou todo o elenco e equipe para assistir “Picardias Estudantis (Fast Times at Ridgemont High)” na noite anterior ao início das filmagens. Mas para nós duas, acredito que, em termos de comédia, “Missão Madrinha de Casamento” é sempre o meu favorito.

Florence: Religião!

Beanie: Ele é a minha religião. Acho que já assisti umas 900 vezes.

Então, você fez “Midsommar” e “Adoráveis Mulheres” consecutivamente?

Florence: Eu fui para Budapeste gravar “Midsommar” por três meses, e então voei para Boston e filmei no dia seguinte — bem, fiz meu teste de maquiagem.

Beanie: Como foi isso?

Florence: Eu basicamente tive que ligar para os dois diretores [Ari Aster e Greta Gerwig] e implorar que eles ajudassem a salvar minha vida. Esse é o quão dramática eu fui. Eu me lembro de desmoronar no telefone com Greta e ela dizer, “Querida, o que aconteceu?” Eu respondi, “As gravações, não vai dar certo!” e ela disse, “Ok, bem, nós podemos tentar fazer isso funcionar.” Eu fiquei, tipo, “Ufa.

Mas tenho que dizer, Amy foi toda a terapia de que eu precisava. Foi perfeito. Foi como se eu pudesse ser essa criança por três meses, e eu não tinha que pensar em flores, ou em ter um colapso mental, ou em um campo. Eu segui em frente imediatamente.

Beanie: Gosto da maneira como Greta e Olivia capturam o espaço entre as mulheres. Acho que esse é realmente o dom delas. Não se trata apenas das personagens individuais que ambas escrevem, mas também da energia e do amor entre elas. Eu acho que isso é tão lindamente personificado em “Adoráveis Mulheres”. Como foi trazer essa irmandade à vida dessa maneira?

Florence: Foi bem similar ao que você estava dizendo sobre Kaitlyn — ela precisava estar lá. Acho que toda a coisa sobre irmãos, é que vocês estão juntos o tempo todo. Vocês estão trocando tapas o tempo todo, vocês estão se beijando e amando uns aos outros. E depois vocês se odeiam e entram em uma discussão sobre a lavagem da louça, e porque alguém não colocou o lixo para fora. Mas então você ficará acordado(a) e fará o dever de casa com eles. Desde o princípio, Greta disse, “Eu quero que isso seja uma bagunça o tempo inteiro. Eu quero que a casa seja uma confusão.

Eu pude virar melhor amiga das garotas mais incríveis. Saoirse, Eliza [Scanlen] e eu estávamos todas morando em uma casa antiga que já serviu de garagem para carruagens, e Emma [Watson] estava alojada no fim fim da rua. Todas nós fazíamos jantares, festas do pijama e tudo isso. O que você viu nas câmeras, foi tudo bem real.

Beanie: Você realmente pode sentir isso. Como é estar no filme “Viúva Negra”?

Florence: Foi a experiência mais bizarra, louca e espetaculosa. Quero dizer, o fato de eu ter tido a oportunidade de fazer um filme com Scarlett Johansson foi realmente mágico. E a diretora mais encantadora e acolhedora, Cate Shortland, fez dessa uma experiência única e especial.

Acho que nós fizemos algo bastante cru, doloroso e bonito. Acho que as pessoas ficarão realmente surpresas com o resultado de um grande filme de ação tendo tanta emoção. Foi especial aprender com a Scarlett. E eu sei que muitas pessoas obviamente ficarão emocionadas com ela, devido a sua personagem ter tido um fim tão terrível.

Beanie: Eu me sinto sortuda por estar viva em uma época na qual ganho um filme de Florence Pugh todos os anos. Estou no paraíso agora.

Fonte: Variety.
Tradução e adaptação: Florence Pugh Brasil.
 

 

 







disclaimer